Menu

banner

A limpeza do ouvido requer cuidados especiais

A regra básica para a higiene do ouvido é usar a haste de algodão para a limpeza apenas da parte externa da orelha.


O verão já chegou. E para suportar as altas temperaturas muitas pessoas passam horas em piscinas ou no mar para se refrescar no calor. Porém, de acordo com o cirurgião otorrinolaringologista, chefe da equipe do Hospital Iguaçu, Dr. Maurício Buschle, é necessário ter alguns cuidados especiais com os ouvidos. “O contato com a água da piscina ou do mar faz com que se produza mais cera, além de dar uma sensação de ouvido entupido”, explica.

É neste momento que as hastes com algodão (popularizado por cotonete), usadas para higiene pessoal, costumam causar polêmica entre médicos e pacientes. “Quando usado na parte interna, além do risco de lesões, estará empurrando a cera para o interior. Porém, dependendo de como é usado e os cuidados com o manuseio, garantem a limpeza correta do ouvido, sem machucar”, esclarece o Dr. Buschle. A regra básica para a higiene do ouvido é usar a hasta de algodão para a limpeza apenas da parte externa da orelha. Outra maneira de fazer a limpeza é com uma toalha, especialmente após o banho.
Não é necessário usar o apetrecho diariamente. O excesso de limpeza dos ouvidos aumenta o risco de um acidente com a haste, como uma escoriação ou até a ruptura do tímpano, podendo causar perda de audição. “Além disso, a cera é uma secreção protetora e até bactericida, sem a qual estaremos mais propensos a infecções de ouvido externo”, afirma o especialista. Em crianças, assim como em adultos, não se deve nunca introduzir cotonetes ou outros objetos nos ouvidos. A limpeza deve ser feita com uma toalha macia na parte externa do conduto auditivo e nas orelhas.

Infecções
As infecções de ouvido comuns nesta época do ano são as otites externas por excesso de contato com água, que muitas vezes estão contaminadas. Já no inverno, em decorrência das gripes e resfriados, a infecção mais comum é a otite média aguda. “Essa infecção ataca principalmente as crianças, que apresentam febre, dores de ouvidos, perda de audição transitória, além dos sintomas iniciais da gripe e nariz trancado com secreção”, enfatiza o Dr. Buschle.
Para as pessoas que produzem muita cera, neste período, devem procurar o otorrinolaringologista para uma limpeza anual. O mais indicado, segundo o especialista é que seja antes do verão. “A falta de limpeza pode provocar o ouvido entupido e, nessas situações, um médico deve ser procurado”, informa. Entretanto, o médico esclarece que a maioria das pessoas não precisa de uma limpeza específica feita por um profissional, basta ser realizada em casa com a toalha após o banho, que é considerada a melhor maneira de fazer a higiene do ouvido.

Já, por outro lado, existem pacientes que produzem pouca cera e que apresentam ouvidos muito secos. “Essas pessoas sofrem de um sintoma muito incômodo que é a coceira crônica dos ouvidos, também chamada de eczema”, ressalta o Dr. Maurício.

voltar ao topo